O Instituto Pólis é uma ONG (Organização Não Governamental) de atuação nacional e internacional. Fundado em 1987, o Pólis atua na construção de cidades justas, sustentáveis e democráticas, por meio de pesquisas, assessoria e formação que resultem em mais políticas públicas e no avanço do desenvolvimento local.

Cineclube Pólis lança o filme Lá do Leste sobre artistas da Cidade Tiradentes

Cineclube Pólis lança o filme Lá do Leste sobre artistas da Cidade Tiradentes
Participação Cidadã, Cidadania Cultural, Cineclube e Mídias, Democracia e Participação, Convivência e Paz
14 de dezembro de 2010

 

O Cineclube Pólis apresenta nesta sexta (17) o documentário Lá do Leste que retrata a vida de quatro artistas de rua da Cidade Tiradentes, bairro da zona leste de São Paulo.
O filme foi dirigido por Carolina Caffé, pesquisadora da área de Desenvolvimento Cultural do Instituto Pólis e a antropóloga Rose Satiko Hijiki, que estarão presentes para um debate após a exibição.

As diretoras do filme conheceram Cidade Tiradentes e seus artistas no desenvolvimento da pesquisa para um mapeamento audiovisual das dinâmicas protagonizadas por jovens artistas de Cidade Tiradentes. O produto final da pesquisa foi o website Mapa das Artes da Cidade Tiradentes para que o conhecimento produzido na e com a comunidade fosse efetivamente apropriado por ela. Os pesquisadores-moradores revelam-se conhecedores profundos da realidade local, e esta apropriação do território, expressada em suas obras artísticas, foi a inspiração para o filme.

Estrutura fílmica

De acordo com as diretoras, o filme é composto por três elementos principais. Uma das suas camadas narrativas pode ser chamada de etnografia dos grupos pela qual são apresentados os seus deslocamentos no território, os equipamentos e espaços que utilizam para apresentações e ensaios, suas práticas artísticas, sua sociabilidade, e suas reflexões.

A segunda camada narrativa explora a metodologia da “câmera bastão”. Daniel Hylario, morador de Cidade Tiradentes, e alguns dos artistas apresentados no filme, têm em mãos uma câmera para gravar o seu universo sem a presença da equipe. O material registrado traz cenas únicas da vida cotidiana destes artistas, no trabalho, na rua e em casa, além de reflexões instigadas pelo questionamento de alguém com quem compartilham a experiência de viver no bairro. O material revela, por meio de outra perspectiva e textura fílmica, o olhar do artista sobre a sua experiência cotidiana, que é o material bruto das suas criações.

A terceira camada narrativa do filme é a artística. A materialidade do grafite, da dança e da música ganham forma seja nos eventos protagonizados pelos grupos seja em cooperações entre eles e a equipe de filmagem, como a animação com o coletivo 5Zonas.

Data: 17 de dezembro de 2010
Hora: 19h
Local: Instituto Pólis
Endereço: Rua Araújo, 124 – República

Anterior / Próximo