cidades inclusivas e sem discriminação

01 (1)

A promoção de cidades justas, seguras e democráticas depende de ações coletivas, mas também de decisões individuais. Fazem parte desta componente os temas relacionados à discriminação e à igualdade de gênero, raça, orientação sexual e renda. Toda ação que questiona e se contrapõe a relações sociais opressoras (ao capital, ao cisheteropatriarcado, ao racismo) é movida pela mesma força e pelas mesmas utopias das lutas pelo Direito à Cidade.

Amar e existir sem medo. Habitar, ocupar, usufruir, produzir e transitar livremente pela cidade são direitos de todas as pessoas.

Só teremos pleno direito à cidade quando andarmos pelas ruas e praças com segurança para vestir o que escolhemos, nos comportar como queremos e amar quem desejamos.

Precisamos construir espaços justos, inclusivos e seguros independente de classe, raça, orientação sexual, gênero e identidade de gênero.